SIC

Perfil

Novos Estilos de Alimentação: Diferenças vs Vantagens

Quando o assunto é bem-estar, a alimentação tem um lugar de destaque. Nos últimos anos, a busca por uma alimentação equilibrada aumentou e hoje em dia já existe uma maior oferta de produtos considerados saudáveis. Mas por vezes é difícil encontrar um estilo que se adeqúe ao seu dia-a-dia. Com a Worten e o Vida Extra fique a conhecer os novos estilos de alimentação e conheça as sugestões que tornam o ato de cozinhar mais simples e rápido.

Paleolítico


Foto: Unsplash

O conceito da dieta Paleolítica é simples: comer o mesmo que os homens das cavernas comiam há mais de 10 mil anos. Como a caça era o principal modo de subsistência do Homo Sapiens, este tipo de alimentação aposta numa dieta à base de carne, frutos, vegetais e sementes.

Em que consiste?

Loren Cordain, o especialista em nutrição que criou o movimento Paleo, defende que o organismo humano ainda não teve tempo para se adaptar às práticas agropecuárias e, por isso, massas, arroz, cereais, leite entre outros alimentos, são proibidos. Segundo Cordain, ingerimos muito mais hidratos de carbono, açúcares e alimentos processados do que o nosso corpo consegue processar.

A dieta Paleo inclui também momentos de jejum que podem ir de 16 a 24 horas. Este conceito foi inspirado na dificuldade que os homens das cavernas tinham em encontrar comida todos os dias, o que faz com que o organismo esteja preparado para passar várias horas sem ingerir alimento.

Mas tenha cuidado: estar muito tempo sem comer pode baixar os níveis de glicémia, fazer com que perca massa muscular, entre outros problemas. Lembre-se que o seu corpo precisa de energia para se manter saudável.

Que vantagens tem?

Ao retirar os hidratos de carbono e os açúcares processados das suas refeições está a contribuir para a perda de gordura acumulada, uma das razões que tornou esta dieta popular. A carne contém proteína e aminoácidos essenciais ao seu bem-estar, enquanto as frutas e vegetais são ricos em nutrientes.

No entanto, antes de iniciar uma dieta Paleo, convém informar-se junto de um especialista de nutrição. Por ser uma dieta que se baseia na ingestão de carne, convém saber qual a quantidade de proteína que deve ingerir por dia. O excesso de proteína pode prejudicar o funcionamento dos rins.

O que faz parte da dieta:

  • Carne
  • Peixe
  • Frutas
  • Vegetais
  • Ovos
  • Sementes
  • Tubérculos
  • Óleos naturais
  • Água

O que fica de fora:

  • Cereais e massas
  • Grãos
  • Leguminosas
  • Leite e laticínios
  • Açúcar refinado
  • Alimentos industrializados
  • Óleos refinados
  • Fritos
  • Doces

Glúten Free


Foto: Unsplash

O glúten é uma proteína que existe em vários cereais – como o trigo, o centeio, a cevada – e que pode criar problemas no sistema digestivo das pessoas celíacas ou que sejam sensíveis ao glúten.

Qual o efeito do glúten?

Quando misturada com água, a proteína transforma-se numa substância pegajosa que, ao colar-se às paredes do intestino delgado impede a absorção dos outros nutrientes essenciais para o organismo.

A oferta de alimentos sem glúten cresceu significativamente nos últimos anos, mas ainda assim é complicado retirar por completo esta proteína da alimentação diária.

Como confecionar produtos sem glúten?

Um dos grandes problemas dos celíacos é precisamente a confeção de produtos sem glúten. Para produzir uma refeição glúten free não pode utilizar utensílios que tenham estado em contacto com alimentos que contenham essa proteína. O glúten transfere-se com muita facilidade contaminando toda a refeição.

Pode sempre optar por cozinhar os seus produtos glúten free em casa: Com a máquina de fazer massa fresca da Philips, pode produzir qualquer tipo de massa em poucos minutos. Basta inserir os ingredientes no aparelho e em 18 minutos a massa fica pronta. Para além disso, as peças são desmontáveis, o que torna a limpeza muito fácil.

Onde existe glúten

  • Cevada
  • Centeio
  • Cuscuz
  • Trigo (farelo de trigo, gérmen de trigo, amido de trigo)
  • Kamut
  • Durum
  • Einkorn
  • Graham
  • Seitan
  • Semolina
  • Espelta
  • Triticale

O que não pode comer

  • Pão
  • Massa
  • Cerveja
  • Cereais
  • Bolos, tortas e doces
  • Biscoitos
  • Molhos

Vegetarianismo e Veganismo


Foto: Unsplash

Seja por amor aos animais e à natureza ou por uma questão de saúde, o vegetarianismo tem vindo a ganhar adeptos nos últimos anos. E isso é visível através da variedade de alimentos vegan que existem hoje em dia nos supermercados.

O número de receitas em que a carne é substituída por tofu, soja ou seitan tem-se multiplicado e há mesmo quem já introduza certos pratos vegetarianos na sua alimentação normal, mesmo não adotando totalmente este estilo.

Em que consiste?

Ser vegetariano não é só não comer carne nem peixe, existe um conjunto de opções que pode inserir, ou não, na sua alimentação. Há quem prefira retirar todos os produtos de origem e animal e quem opte por continuar a comer alguns produtos.

- Um ovolactovegetariano não come carne nem peixe mas consome ovos e lacticínios. Há também quem opte por ingerir apenas um destes alimentos, tornando-se ovovegetariano (no caso dos ovos) ou lactovegetariano (no caso dos derivados do leite)

- Para um vegetariano, qualquer produto alimentar que seja proveniente dos animais está fora de questão. Existem ainda os frugívoros que se alimentam apenas de frutos, grãos e sementes e os crudívoros que defendem que a ingestão dos alimentos deve ser feita ao natural, ou seja, com os alimentos crus.

- A opção mais radical é o veganismo. Para além da alimentação, os vegans recusam-se a utilizar qualquer produto derivado de animais, seja roupa, calçado ou acessórios do dia-a-dia. O veganismo assume-se como um modo de vida de quem recusa a exploração animal.

Em todas as opções, os legumes são os protagonistas da dieta e pode tornar as suas refeições mais criativas com a ajuda do espiralizador Kenwood. Este aparelho permite cortar rapidamente os vegetais necessários e em diferentes formatos. Pode, por exemplo, cortar os seus legumes no formato de esparguete dando mais cor e sabor às suas receitas.

Como compensar a ingestão de proteína?

Uma das críticas feitas a esta dieta é a falta de alimentos ricos em proteína, cuja principal fonte é a carne. No entanto, as leguminosas – como o feijão, as lentilhas e o grão – são ricos em proteína e permitem substituir o consumo de carne.

Alimentos ricos em proteína:

  • Ovos (caso seja ovovegetariano)
  • Laticínios (caso seja lactovegetariano)
  • Grão
  • Feijão
  • Lentilhas
  • Ervilhas
  • Soja
  • Frutos secos
  • Sementes
  • Tofu
  • Seitan

Macrobiótica


Foto: Unsplash

A filosofia macrobiótica vai além da alimentação. Trata-se de um estilo de vida que pretende encontrar o equilíbrio entre o ser humano e a natureza, seja ao nível biológico, ecológico, social ou espiritual.

Em que consiste?

Tendo surgido entre a cultura oriental, a dieta macrobiótica utiliza como base a ideologia do Yin e Yang – o bem e o mal que se complementam. Os alimentos considerados Yin são doces, frios e passivos enquanto os Yang são salgados, quentes e agressivos.

O ser humano deve estar em harmonia com a natureza o que significa que a alimentação varia consoante o local, o clima e a altura do ano. São privilegiados os vegetais de época que sejam plantados e preparados de forma tradicional.

Que vantagens traz?

Segundo a filosofia da dieta macrobiótica, nós somos o que comemos porque são as substâncias que ingerimos que circulam no nosso sangue e dão energia ao organismo. Por isso, uma alimentação mais equilibrada traz mais felicidade no dia-a-dia.

Para além disso, o facto de ser composta maioritariamente por vegetais e alimentos naturais é também uma vantagem desta dieta. No entanto é necessário ter em atenção que a dieta macrobiótica tem poucas fontes proteicas, o que pode levar a uma deficiência desta substância.

Alimentação diária

  • 50 a 60% de cereais integrais
  • 25 a 35% de vegetais crus ou pouco cozidos
  • 10 a 15% de leguminosas, derivados de leguminosas e algas
  • 1 a 2 pratos de sopa
  • Peixe, preferencialmente de carne branca
  • Sementes
  • Oleaginosas

Alimentos a evitar

  • Carne
  • Ovos
  • Lacticínios
  • Açúcar
  • Vegetais
  • Café
  • Chá
  • Alimentos refinados

Detox


Foto: Unsplash

Batidos e sumos naturais à base de legumes e fruta para desintoxicar o corpo. É este o princípio dos regimes detox. O stress, a má alimentação e a ingestão de gorduras e açúcares contribuem para acumulação de toxinas, mas se juntar à sua alimentação sumos, chás e batidos com propriedades desintoxicantes consegue fazer uma limpeza interior.

Como funciona?

Existem diferentes formas de desintoxicar o corpo. Pode optar por um plano mais intenso e fazer um detox total durante um a três dias – nunca mais de cinco, e sempre com acompanhamento de um profissional –, ou inserir estes sumos e batidos na sua alimentação diária, substituindo por exemplo o lanche ou o pequeno almoço. Para além disso, durante este período de desintoxicação é aconselhado que deixe práticas tóxicas como fumar ou beber bebidas alcoólicas.

Independentemente da opção escolhida, é importante perceber como funciona o processo de detox: o plano contém um máximo de 1.000 calorias por dia que são ingeridas em forma líquida. A grande quantidade de água presente nos sumos vai permitir que as toxinas acumuladas no corpo sejam expelidas através da urina.

Que vantagens tem?

Por serem produzidos com vegetais e frutos, os sumos detox têm muitos nutrientes que são necessários ao organismo. Pode sentir uma redução das dores de cabeça, do acne, da retenção de líquidos ou até da celulite acumulada. Também os seus padrões de sono podem ser melhorados graças a estes sumos e batidos, o que potencia uma maior energia no dia-a-dia.

Por outro lado, como o processo de digestão – um dos mecanismos do corpo que consome mais energia – não é acionado, o organismo irá direcionar essa energia livre para melhorar outras funções, como por exemplo o sistema imunitário.

Existem muitas as receitas que pode experimentar, mas também pode juntar os seus legumes e frutas preferidos. Dê asas à imaginação e faça combinações a seu gosto. É muito simples criar um sumo detox com o liquidificador Philips. Com três velocidades, este liquidificador consegue criar sumos de fruta frescos ou batidos dos mais resistentes legumes.

Quem não pode fazer?

Um tratamento de detox pode não ser o mais adequado à sua saúde. Pessoas com problemas renais, diabéticos e doentes que tomem imunossupressores poderão sofrer efeitos secundários que deixem o organismo debilitado. Também as crianças, os adolescentes, as mulheres grávidas ou que estejam a amamentar, não devem fazer um programa de desintoxicação.

Com a Worten tenha uma Vida Extra mais saudável!

  • 10 sítios ideais para fazer a sua corrida matinal em Lisboa e no Porto

    Sugestões SIC

    Quer fazer exercício físico e não sabe por onde começar? Está farto de correr sempre nos mesmos sítios? A Worten e o Vida Extra juntaram os melhores locais em Lisboa e no Porto para o seu running matinal. Fazer exercício não precisa de ser um esforço: se juntar a natureza, as paisagens bonitas e a tecnologia perfeita, a corrida torna-se mais fácil e mais eficaz. Dê um salto tecnólogico e rentabilize ao máximo o seu exercício matinal!

nas redes

pesquisar